Panorama do Coprocessamento – 2021 – ABCP

O Panorama do Coprocessamento - Brasil 2021 da ABCP informa que cerca de 2 milhões de toneladas de resíduos são coprocessadas por ano no país pela indústria. Mas na próxima década esse volume de coprocessamento deve dobrar, estima o estudo.

Coprocessamento, Solução Sustentável para a Destinação Final de Resíduos Industriais

Cada vez mais, a sociedade desenvolve alternativas e tecnologias para reduzir os impactos ambientais provocados pela atividade humana. Uma delas é o coprocessamento, solução sustentável para a destinação final de resíduos industriais e comerciais.

Hoje, dois enormes desafios da sociedade contemporânea envolvem a diminuição da disposição de materiais em aterros (aterro zero) e a redução das emissões de gases de efeito estufa (GEE) na atmosfera.

Essa preocupação porque esses fatores estão diretamente ligados ao aquecimento global e seus reflexos – o aumento da temperatura dos oceanos, a desertificação de regiões úmidas e tropicais, crises hídricas e eventos extremos como tempestades, furacões, ciclones, maremotos e outros.

O coprocessamento é um método de tratamento de resíduos sólidos presente no Brasil há cerca de duas décadas, mas que a cada dia ganha mais relevância por estar totalmente enquadrado no princípio da economia circular.

Para as indústrias, o coprocessamento traz ampla vantagem: o fato de ser uma tecnologia de baixo carbono, a extensão do ciclo de vida de resíduos, a geração de uma fonte energética alternativa (o combustível derivado de resíduos/CDR ou ‘blend’), a destruição total de sobras industriais e a otimização de espaços de unidades fabris.

Panorama do Coprocessamento

A ABCP (Associação Brasileira de Cimento Portland) publica anualmente um mapeamento nacional da atividade de coprocessamento.

Divulgado recentemente, o Panorama do Coprocessamento – Brasil 2021 (ano base 2020) da ABCP informa que cerca de 2 milhões de toneladas de resíduos são coprocessadas por ano no país pela indústria. Mas na próxima década esse volume de coprocessamento deve dobrar, estima o estudo.

O levantamento Panorama do Coprocessamento advém do uso em larga escala que as indústrias cimenteiras fazem do denominado ‘blend’ – combustível de alto poder calorífico gerado a partir da trituração e mistura de diferentes resíduos industriais, solos contaminados e outros materiais inservíveis.

Nas fábricas de cimento, o blend é utilizado como fonte energética sustentável, pois substitui o carvão e combustíveis derivados de petróleo nos fornos de produção do clínquer (a principal matéria-prima do cimento).

Coprocessamento na Indústria de Cimento

De acordo com o Panorama do Coprocessamento – Brasil 2021 (ano base 2020), no país existem 91 companhias de cimento – distribuídas nas cinco regiões – que se beneficiam da tecnologia de coprocessamento.

Os resíduos que alimentam os fornos dessas indústrias cimenteiras – que formam o blend – é proveniente de siderúrgicas, farmacêuticas, petroquímicas, empresas de papel e celulose, alumínio, produtos químicos, pneus, embalagens, automotores, do setor de energia elétrica e dos resíduos urbanos.

Esse combustível alternativo e sustentável inclui solventes, resíduos oleosos, plásticos, graxas, resíduos têxteis, areia de fundição, lama siderúrgica, gesso, cinzas, escórias, solos contaminados e outros tantos materiais.

OBS: Em conformidade com a resolução SIMA No. 145, de 22/12/21, o Lodo Industrial de Estações de Tratamento de Efluentes Industriais poderá ser adequado para destinação final através do processo de Incineração

Ou seja, uma série de resíduos que seriam depositados em aterros sanitários sem a exploração de sua capacidade energética, que poderiam contribuir com a economia circular, com a redução dos gases de efeito estufa (por exemplo, o metano que é gerado em abundância anos aterros) e ainda gerar a poupança de matéria-prima/recursos naturais.

Segundo o Panorama do Coprocessamento 2021, o coprocessamento é uma atividade crescente no Brasil. Entre 1999 e 2020, um total de 20.566 milhões de toneladas de resíduos foram coprocessados no país.

O estudo apontou que o montante coprocessado em 2020 era composto por combustíveis de biomassa (48%), combustíveis alternativos como o blend e pneus inservíveis (44%) e matérias-primas alternativas (8%).

Considerando só os pneus descartados pós-uso, em 2020 foram coprocessadas 321 mil toneladas. Esse montante corresponde a 64 milhões de pneus.

Só para se ter uma ideia do avanço do coprocessamento na área da borracha, em 2005 o Brasil coprocessou 67 mil toneladas de pneus inservíveis. Em quinze anos houve um aumento de quase 480% no volume de pneus coprocessados.

Coprocessamento: Método Sustentável

O coprocessamento é um método de tratamento de resíduos regulamentado pelo CONAMA (Conselho Nacional de Meio Ambiente) – por meio da Resolução Nº 499 – e incorporado à Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), a Lei Nº 12.305, de 2 de agosto de 2010.

Além de sua legalidade enquanto método de tratamento de resíduos, observa o estudo, o coprocessamento é uma tecnologia sustentável que contribui com a redução das emissões de CO2 (gás carbônico).

Isso ocorre na medida em que o coprocessamento utiliza uma “fração não reciclável dos resíduos sólidos urbanos para a geração de energia térmica”.

Em 2020, os combustíveis alternativos representaram 28% da fonte energética das cimenteiras. Para 2050, no entanto, a perspectiva é que os combustíveis alternativos substituam 55% dos combustíveis fósseis no processo de fabricação do cimento nacional.

Nova Ambiental: Expertise em Coprocessamento

Há duas décadas, a Nova Ambiental se tornou uma empresa referência em serviços de alta qualidade na área de tratamento de resíduos Industriais e resíduos perigosos.

O portfólio de soluções da Nova Ambiental inclui o coprocessamento, tecnologia de comprovada eficácia que traz ganhos ambientais, operacionais, financeiros, de logística e a otimização de gestão de resíduos industriais.

Por meio da tecnologia de coprocessamento, a Nova Ambiental atende demandas relacionadas ao manejo de resíduos e sobras industriais dos mais variados segmentos produtivos.

No parque multitecnológico da empresa, instalada no município de Itapevi (SP), os lotes de resíduos fabris são britados e triturados para a geração do valioso ‘blend’. Depois, esse subproduto – que também pode conter solos contaminados, provenientes de áreas poluídas – vai parar nos fornos das cimenteiras, onde os resíduos são totalmente destruídos.

Não deixe que os resíduos industriais da sua companhia se tornem um ônus. Converse com um de nossos consultores e conheça os benefícios sociais, ambientais e econômicos que o coprocessamento pode agregar ao seu negócio.

Imagem: Acervo Nova Ambiental

Consulte a Nova Ambiental

Telefone – (11) 4144-4655

WhatsApp – (11) 96476-2080

SAC – (11) 4205-8454

YouTube – https://www.youtube.com/channel/UCZ5pxYypf4mWI8PfNLCliqA

Facebook – www.facebook.com/NovaAmbiental/

Instagram – https://www.instagram.com/novaambiental/

 

síntese
Panorama do Coprocessamento - 2021 - ABCP
Nome do Artigo
Panorama do Coprocessamento - 2021 - ABCP
Descrição
O Panorama do Coprocessamento - Brasil 2021 da ABCP informa que cerca de 2 milhões de toneladas de resíduos são coprocessadas por ano no país pela indústria. Mas na próxima década esse volume de coprocessamento deve dobrar, estima o estudo.
Autor
Empresa
Sistema Nova Ambiental
Marca

Com extremo zêlo, profissionalismo, seriedade e competência, a Nova Ambiental conta com soluções sustentáveis.

Coprocessamento de Resíduos industriais é a etapa em que o resíduo é totalmente descaracterizado e misturado junto a outros resíduos com alto poder calorífero (blend)

Coprocessamento de Resíduos

Etapa em que o resíduo é totalmente descaracterizado e misturado junto a outros resíduos com alto poder calorífero (blend)

Resíduos de Serviços de Saúde (RSS). Realizamos a correta classificação dos resíduos de serviços de saúde RSS, possibilitando a correta manipulação.

Resíduos de Serviços de Saúde (RSS)

Realizamos a correta classificação dos resíduos de serviços de saúde RSS, possibilitando a correta manipulação.

Descaracterização de Resíduos. Realizamos a descaracterização de resíduos anulando os riscos de reutilização de qualquer produto e embalagens.

Descaracterização de Resíduos

Realizamos a descaracterização de resíduos anulando os riscos de reutilização de qualquer produto e embalagens.

Transporte de Resíduos Perigosos com veículos próprios assegurados, rastreados e operando dentro das normas legais ambientais e de trânsito para execução dos serviço de Tratamento de Resíduos

Transporte de Resíduos Perigosos

Veículos próprios assegurados, rastreados e operando dentro das normas legais ambientais e de trânsito para execução dos serviço de Tratamento de Resíduos

Logística Reversa Para Aerossol</a></h2> <p>Descaracterização de embalagens, manufatura reversa.  Infraestrutura moderna e tecnologia para o tratamento e destinação final de embalagens pós-consumo de aerossóis.

Logística Reversa Para Aerossol

Descaracterização de embalagens, manufatura reversa. Infraestrutura e tecnologia para tratamento e destinação final de embalagens pós-consumo de aerossóis.

Incineração de Resíduos. Possuímos um perfeito processo de tratamento de resíduos que envolve a combustão de substâncias orgânicas.

Incineração de Resíduos

Possuímos um perfeito processo de tratamento de resíduos que envolve a combustão de substâncias orgânicas.

Remediação Ambiental, Remoção de Solo Contaminado e Tratamento

Remediação Ambiental e Solo Contaminado

Remediação Para Áreas Contaminadas. Realizamos um minucioso diagnóstico da contaminação. Multitecnologia para no tratamento de solo contaminado.

Contamos com licença da CETESB para Armazenamento Temporário de Resíduos Perigosos e não perigosos

Armazenamento Temporário

Contamos 10.000m² licenciada pela CETESB para Armazenamento Temporário de Resíduos Perigosos e não perigosos

Manufatura Reversa de Eletrônicos Reutilização e o reprocessamento de equipamentos elétricos e eletrônicos descartados ou considerados obsoletos

Manufatura Reversa de Eletrônicos

Reutilização e o reprocessamento de equipamentos elétricos e eletrônicos descartados ou considerados obsoletos

Retorno Fiscal e Dedutibilidade Fiscal  de Produtos Inservíveis e serviços integrados de destinação final de produtos e/ou materiais inservíveis e assessoria fiscal, tributária e ambiental.

Retorno Fiscal de Produtos Inservíveis

Dedutibilidade Fiscal e serviços integrados de destinação final de produtos e/ou materiais inservíveis e assessoria fiscal, tributária e ambiental.

Despressurização de Aerossóis

Despressurização de Aerossóis. Nosso equipamento pode tratar latas de aerossóis e gás refrigerante. Neste processo os líquidos e os gases são totalmente capturados, os gases que possuem um alto poder de queima e são utilizados como fonte de energia para o nosso incinerador, já os líquidos são direcionados para os tratamentos disponíveis e adequados na Nova Ambiental.