Coprocessamento para Tratamento do Lodo das Estações de Tratamento de Água, Esgoto e Efluentes

Coprocessamento é uma das soluções que a Nova Ambiental disponibiliza para companhias que lidam com o lodo proveniente de Estações de Tratamento de é misturado a outros rejeitos industriais e solos contaminados por reagentes químicos, para formar um subproduto conhecido como “blend’ - que, depois, é utilizado como fonte de energia alternativa na indústria de cimento.

A crescente demanda por água em todo o planeta, para manter o abastecimento de metrópoles e parques industriais, impõe um enorme desafio para empresários, administradores públicos e ambientais: a gestão do lodo das Estações de Tratamento.

É sabido que a oferta de água tratada e a universalização do saneamento básico são fatores atrelados ao desenvolvimento social, industrial, econômico e ambiental das nações. E que as ETAs – tanto as municipais quanto as industriais – cumprem um papel central nessa equação.

Contudo, a busca pelo progresso tem um preço ambiental: quanto maior é a oferta de água de qualidade e o nível de desenvolvimento de um país, maior é a geração de lodo nas suas Estações de Tratamento de Água, Esgoto e Efluentes.

Quer dizer, no fim das contas as Estações de Tratamento produzem um grande volume de lodo residual cuja gestão é bastante trabalhosa e delicada.

Ou seja, o lodo é um expressivo passivo ambiental que não pode ser descartado na natureza de qualquer jeito. O Lodo de Estações de tratamento de efluentes de industrias exigem mais cuidados ainda, pois possuem inúmeros componentes químicos, além da alta concentração.

Assim, o lodo das Estações de Tratamento é um resíduo que necessita de destinação final adequada, visando a garantia da saúde pública e a proteção dos recursos naturais.

Para assegurar a proteção da população e do meio ambiente, o manejo adequado desse lodo deve ser executado por empresas de serviços de tratamento de resíduos industriais e destinação final.

O que é lodo das Estações de Tratamento de Água, Esgoto e Efluentes?  

Em sua missão de transformar água bruta em água potável e/ou própria para os mais diversos processos industriais, as Estações de Tratamento geram muitos resíduos.

O aglomerado desses resíduos – que são produzidos principalmente nas fases de decantação e filtração da água – é chamado de lodo.

Na etapa da decantação, o lodo é gerado a partir da sedimentação dos resíduos, que previamente foram submetidos à fase de floculação.

E durante a filtração, outro lote de lodo é produzido durante a lavagem dos elementos filtrantes.

A composição do lodo das Estações de Tratamento

A composição do lodo proveniente de unidades de tratamento de água (das indústrias e cidades) é variável.

Depende das características da água captada, da quantidade de resíduos extraídos e dos produtos utilizados durante o processo de higienização e desinfecção da água nas ETAs.

Mas, basicamente, o lodo de uma Estação de Tratamento é composto por impurezas extraídas da água bruta e resíduos dos produtos adicionados a ela durante o processo de tratamento.

O lodo pode conter resíduos de metais, produtos químicos, coagulantes, surfactantes, coliformes fecais, óleos, graxas, compostos organo-halogenados e outras substâncias poluentes e/ou tóxicas que causam danos à saúde humana e à natureza.

Os riscos do lodo não tratado

Quando não é devidamente tratado, o lodo pode provocar vários prejuízos ecológicos, especialmente aos corpos hídricos, à fauna e à flora aquáticas.

Infelizmente, boa parte das Estações de Tratamento instaladas no país ainda descartam o lodo oriundo de suas operações em mananciais próximos, causando um severo impacto ambiental.

Esse estrago se manifesta de várias maneiras: turbidez da água, cheiro ruim, diminuição do pH, redução do nível de oxigênio, aumento da concentração de metais e outros elementos poluentes e tóxicos.

Gestão e tratamento do lodo de estações, um desafio global

O gerenciamento do lodo oriundo das Estações de Tratamento é uma questão que mobiliza especialistas, autoridades e ambientalistas em todo o mundo.

No Brasil, uma dessas iniciativas será o 1º Encontro Nacional de Lodo de Estação de Tratamento de Água – LETA 2021, evento virtual que acontecerá em junho, organizado pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) e Universidade de São Paulo (USP).

O objetivo do encontro online é reunir pesquisadores, estudantes, técnicos e gestores da área de saneamento envolvidos com o manejo do lodo gerado nas Estações de Tratamento, com o intuito de fomentar o debate transdisciplinar e a divulgação científica.

O LETA 2021 terá palestras com especialistas nas áreas de saneamento, meio ambiente, geotecnia e ciência dos materiais, além de debates e apresentação de trabalhos.

A pauta do evento virtual inclui análises e discussões sobre o cenário atual da gestão e o tratamento do lodo das Estações de Tratamento no país, as inovações tecnológicas, os benefícios da gestão adequada, os usos benéficos desse tipo de resíduo e outros temas relacionados.

Por que as empresas devem tratar o lodo de suas Estações de Tratamento

Bom, inicialmente cabe observar que, no Brasil, desde agosto de 2010 está em vigor a Política Nacional dos Resíduos Sólidos (PNRS), a Lei Nº 12.305 que define o lodo como um tipo de resíduo sólido.

Portanto, o lodo enquanto resíduo deve, obrigatoriamente, ser submetido a algum método adequado de destinação final, no sentido de evitar danos ao meio ambiente e à saúde das pessoas.

O setor industrial, por sua vez, é o maior gerador de resíduos sólidos do mundo. E uma parte generosa dessa astronômica montanha de resíduos é formada pelo lodo de suas Estações de Tratamento (ETAs e ETEs).

E quando é mal administrado, esse lodo produzido nas Estações de Tratamento instaladas para atender a demanda hídrica das fábricas vira passivo ambiental.

A título de curiosidade, algumas das maiores geradoras de lodo são companhias de alimentos, bebidas, de papel e celulose, têxteis, químicas, siderúrgicas e de energia elétrica.

Porém, além de prejuízos ecológicos, o manejo incorreto do lodo industrial também pode acarretar autuações, multas pesadas e outras penalidades impostas por órgãos de fiscalização. Em casos mais extremos, pode provocar a interdição temporária ou até mesmo o fechamento da companhia poluidora.

Por fim, mas não menos pior, o descuido com o lodo ainda pode causar um grave transtorno de ordem institucional. Principalmente quando o nome da empresa causadora do impacto ambiental vai parar na imprensa ou nas redes sociais.

Coprocessamento: a destinação final do lodo de estações de tratamento de água, esgoto e efluente

Quando se fala em destinação final ambientalmente adequada de resíduos industriais, inclusive o lodo das ETAs, uma solução bastante eficiente é o coprocessamento.

O coprocessamento é um método de manejo de sobras industriais que combina vantagens operacionais, otimização da gestão de resíduos, geração de uma nova fonte energética e sustentabilidade.

A tecnologia de coprocessamento é uma das soluções que a Nova Ambiental disponibiliza para companhias que, diariamente, lidam com o gerenciamento de grandes volumes de lodo e outros resíduos sólidos.  

Durante o coprocessamento, o lodo proveniente das  ETAs é misturado a rejeitos industriais (previamente triturados em máquinas), e solos contaminados por reagentes químicos, para formar um subproduto conhecido como “blend’ – que, depois, é utilizado como fonte de energia alternativa na indústria de cimento.

Este ‘blend’ é de grande valia para as companhias do setor, pois serve como combustível para as caldeiras que fabricam a matéria-prima essencial à construção civil.

Além do reaproveitamento do lodo, outras vantagens do coprocessamento são:

A Nova Ambiental é uma empresa especializada em coprocessamento e outros serviços de tratamento de resíduos industriais e destinação final.

Conheça o nosso portfólio de soluções ambientais e as vantagens que podemos agregar ao seu negócio.

Atendimento Nova Ambiental

Telefone – (11) 4144-4655

WhatsApp – (11) 96476-2080

SAC – (11) 4205-8454

YouTube – https://www.youtube.com/channel/UCZ5pxYypf4mWI8PfNLCliqA

Facebook – www.facebook.com/NovaAmbiental/

Instagram – https://www.instagram.com/novaambiental/

síntese
Coprocessamento para Tratamento do Lodo das Estações de Tratamento de Água, Esgoto e Efluentes
Nome do Artigo
Coprocessamento para Tratamento do Lodo das Estações de Tratamento de Água, Esgoto e Efluentes
Descrição
Coprocessamento é uma das soluções que a Nova Ambiental disponibiliza para companhias que lidam com o lodo proveniente de Estações de Tratamento de Água, Efluente e Esgoto. O lodo é misturado a outros rejeitos industriais e solos contaminados por reagentes químicos, para formar um subproduto conhecido como “blend’ - que, depois, é utilizado como fonte de energia alternativa na indústria de cimento.
Autor
Empresa
Sistema Nova Ambiental
Marca

Com extremo zêlo, profissionalismo, seriedade e competência, a Nova Ambiental conta com soluções sustentáveis.

Coprocessamento de Resíduos industriais é a etapa em que o resíduo é totalmente descaracterizado e misturado junto a outros resíduos com alto poder calorífero (blend)

Coprocessamento de Resíduos

Etapa em que o resíduo é totalmente descaracterizado e misturado junto a outros resíduos com alto poder calorífero (blend)

Resíduos de Serviços de Saúde (RSS). Realizamos a correta classificação dos resíduos de serviços de saúde RSS, possibilitando a correta manipulação.

Resíduos de Serviços de Saúde (RSS)

Realizamos a correta classificação dos resíduos de serviços de saúde RSS, possibilitando a correta manipulação.

Descaracterização de Resíduos. Realizamos a descaracterização de resíduos anulando os riscos de reutilização de qualquer produto e embalagens.

Descaracterização de Resíduos

Realizamos a descaracterização de resíduos anulando os riscos de reutilização de qualquer produto e embalagens.

Transporte de Resíduos Perigosos com veículos próprios assegurados, rastreados e operando dentro das normas legais ambientais e de trânsito para execução dos serviço de Tratamento de Resíduos

Transporte de Resíduos Perigosos

Veículos próprios assegurados, rastreados e operando dentro das normas legais ambientais e de trânsito para execução dos serviço de Tratamento de Resíduos

Incineração de Resíduos. Possuímos um perfeito processo de tratamento de resíduos que envolve a combustão de substâncias orgânicas.

Incineração de Resíduos

Possuímos um perfeito processo de tratamento de resíduos que envolve a combustão de substâncias orgânicas.

Realizamos um minucioso diagnóstico da contaminação, disponibilizamos diversas técnicas de remediações.

Remediação Para Áreas Contaminadas

Remediação Para Áreas Contaminadas. Realizamos um minucioso diagnóstico da contaminação, disponibilizamos diversas técnicas de remediações.)

Contamos com licença da CETESB para Armazenamento Temporário de Resíduos Perigosos e não perigosos

Armazenamento Temporário

Contamos 10.000m² licenciada pela CETESB para Armazenamento Temporário de Resíduos Perigosos e não perigosos

Manufatura Reversa de Eletrônicos Reutilização e o reprocessamento de equipamentos elétricos e eletrônicos descartados ou considerados obsoletos

Manufatura Reversa de Eletrônicos

Reutilização e o reprocessamento de equipamentos elétricos e eletrônicos descartados ou considerados obsoletos

Lixo Importado: Um Problema Global

Lixo Importado: Um Problema Global

Enquanto boa parte da sociedade e das empresas se esforça na busca e no aperfeiçoamento de práticas ambientais sustentáveis, um grave e silencioso problema se alastra pelo mundo: a importação ilegal de lixo. A atividade clandestina desafia leis ambientais e ocorre na...

Coleta Adequada de Amostras dos Resíduos Industriais

Coleta Adequada de Amostras dos Resíduos Industriais

O Tratamento de resíduos e destinação final ambientalmente adequada dos rejeitos industriais é uma obrigação, prevista pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), para todas as empresas geradoras de material residual proveniente de suas atividades fabris. No âmbito dessa grande responsabilidade socioambiental das companhias, é fundamental a precisão durante o processo de coleta de amostras dos resíduos industriais.